Como o Reggae surgiu no Brasil

Para entender como o Reggae chegou ao Brasil, primeiro é preciso fazer uma viagem no tempo, chegar até suas raízes e passar por toda a evolução desse estilo musical.

O Reggae é um gênero que tem suas origens no Ska e no Rocksteady, estilos muito populares na Jamaica no final dos anos 1950 e início dos anos 1960.

Em meados de 1968, alguns músicos jamaicanos começaram a fazer sons mais lentos que o Ska, porém mais rápidos que o Rocksteady, além de acrescentar alguns efeitos: foi aí que surgiu o Reggae em sua forma mais pura.

Alguns profissionais influentes na área, como Lee “Scratch” Perry e Joe Gibbs e King Tubby foram peças fundamentais no desenvolvimento desses gêneros na Jamaica. Um desses célebres produtores, Chris Blackwel, mudou-se para a Inglaterra ainda década de 1960 e levou consigo a missão de promover a música no país.

Mas o Reggae começou a ganhar mesmo o território internacional na década de 1970, com dois fatores decisivos para sua expansão ao redor do mundo:

– O lançamento do filme jamaicano “Balada Sangrenta” (“The Harder They Come”), estrelado por Jimmy Cliff, em 1972. O longa foi o primeiro a mostrar ao mundo a realidade da Jamaica, incluindo sua música;

– E, como não poderia deixar de ser, o mais conhecido e amado embaixador do reggae, Bob Marley. A carreira de Bob se estendeu por mais de uma década, começando em 1963 com a banda The Wailers, e que culminou com o lançamento do álbum Exodus, em 1977, quando alcançou a fama internacional.

Em 1985, uma categoria intitulada “Melhor Álbum de Reggae” foi introduzida no Grammy Awards, consagrando de vez o gênero perante todo o mundo.

The Harder They Come
Pôster do filme “The harder they come”, filme que apresentou Jimmy Cliff (e o Reggae) ao mundo em 1972

Reggae no Brasil

A chegada do Reggae ao Brasil ainda é um assunto um pouco nebuloso devido ao fato de não existir nenhum estudo histórico detalhado sobre o tema. Porém, alguns caminhos possíveis podem ser seguidos para tentar entender como esse estilo musical desembarcou em nosso país.

O primeiro contato do público brasileiro com o Reggae é simbolizado pela visita de Jimmy Cliff ao país, em 1969, para participar do Festival Internacional da Canção (FIC).

Em 1972, Caetano Veloso gravou “Nine out of ten”, lançada no Brasil em 1972 no álbum “Transa”, e a música foi considerada um marco na história do Reggae no Brasil – não necessariamente por SER um Reggae.

“Nine out of Ten, a minha melhor música em inglês. É histórica. É a primeira vez que uma música brasileira toca alguns compassos de reggae, uma vinheta no começo e no fim. […]Bob Marley e The Wailers foram a melhor coisa dos anos 70”, revelou Caetano em uma entrevista ao Jornal do Brasil.

(“Nine out of Ten” com intro de Reggae)

Gilberto Gil também se arriscou na linguagem do reggae em 1977, no disco “Revela”, mas não se jogou totalmente no gênero. Porém, logo em seguida, gravou a música “No woman no cry”, de Bob Marley, e a versão se tornou um grande sucesso no Brasil, com mais de 500 mil cópias do compacto vendidas.

Simultaneamente a esse movimento, alguns estados, como Maranhão, Pará e Bahia também começavam a se apaixonar pelo Reggae que era trazido pelas mãos de um vendedor de discos importados.

Nos anos seguintes, os primeiros álbuns começaram a ser lançados no Brasil e, junto com a visita de Bob Marley ao país em 1980, o estilo começou a decolar de vez por aqui. No mesmo ano, Gilberto Gil e Jimmy Cliff fizeram uma turnê de sucesso com shows pelo Brasil.

Bob marley-Chico-e-Toquinho_RJ1980
Bob Marley cercado Chico Buarque e Toquinho (ao fundo) durante sua visita ao Brasil, em 1980 (Foto: Luiz Pinto / Agência O Globo)

Começaram então a surgir as primeiras bandas de Reggae no cenário nacional. Ainda no final dos anos 1970, aparece em Recife o Grupo Karetas, considerado a primeira banda de Reggae do Brasil. Outro artista apontado como um dos pioneiros do gênero no país é Edson Gomes. Nascido na Bahia, o cantor gravou seu primeiro disco “Reggae e Resistência” em 1988, e seus hits se espalharam por todos os cantos.

Muitos outros grupos aparecem a partir da segunda metade dos anos 1980, entre eles a Tribo de Jah, no Maranhão. Até hoje o estado carrega o apelido de “Jamaica Brasileira” devido ao fenômeno que o Reggae se tornou no local, e a Tribo foi uma das responsáveis pela difusão e fortalecimento desse título. O grupo, formado na Escola de Cegos do Maranhão, possui uma trajetória de sucesso até hoje, levando em sua mala shows realizados em diversos lugares do planeta, entre eles a Jamaica, Argentina, Europa, entre outros.

Ainda na década de 1980, chega a vez do Rock se misturar ao Reggae, por meio da banda Paralamas do Sucesso. Em 1986, no Rio de Janeiro, nasceu uma das bandas que atravessou gerações e ajudou a fortalecer ainda mais a cena: o Cidade Negra. Em 1992, o grupo carimbou o passaporte e voou até Montego Bay, na Jamaica, para tornar-se o primeiro grupo de artistas latino-americanos a participar do Reggae Sunsplash Festival.

Com o fortalecimento do cenário nacional e várias apresentações de artistas brasileiros fora do país, o número de bandas se multiplicou nos anos 1990. Entre elas podemos destacar alguns nomes que atingiram o grande público, como Adão Negro, Alma Djem, Natiruts e Planta & Raiz.

Curiosidade:

Em 2012, trinta e um anos após a morte de Bob Marley, a presidente Dilma Rousseff decidiu homenagear o músico jamaicano instituindo o Dia Nacional do Reggae. A data é comemorada no dia 11 de maio, mesmo dia em que o cantor morreu aos 36 anos.

O texto distribuído pelo Palácio do Planalto para divulgar a decisão dizia que nesta data “se homenageará o ritmo musical difundido mundialmente por Robert Nesta Marley”.