Quais são as bandas mais antigas de Reggae no Brasil?

Primeiras bandas de Reggae do Brasil

A falta de um estudo histórico detalhado sobre a chegada do Reggae ao Brasil torna o assunto um tanto quanto nebuloso. Uma série de incertezas relacionadas à datas, formas de disseminação e nomes envolvem o tema, mas o que realmente sabemos é que tudo aconteceu em meados dos anos 1970. A vinda de Jimmy Cliff ao país, o lançamento de “Nine out of ten” de Caetano Veloso e sua inspiração encontrada em Londres, e assim por diante.

Saiba mais: Como o Reggae surgiu no Brasil

Seja por meio das rádios piratas caribenhas que eram captadas no nordeste do país, pelos marinheiros nos portos, ou pelas mãos de vendedores de discos ilegais, fato é que o Reggae achou o seu lugar no coração dos brasileiros há décadas.

Embora hoje tenhamos uma gama de artistas nacionais, alguns muito conhecidos no cenário pop e outros que lutam para manter o Reggae vivo nos cantos mais escondidos do Brasil, é preciso saber quem foram os pioneiros que ajudaram a fortalecer a cultura por aqui.

Nos anos 1970, alguns cantores consagrados, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre muitos outros, se arriscaram em algumas composições que remetiam ao Reggae, mas nesse texto vamos nos ater a bandas totalmente voltadas ao gênero.

É difícil citar todos os nomes, mas vamos relembrar alguns muito conhecidos do público, e outros não tão conhecidos assim, mas que marcaram presença nos primórdios do Reggae no Brasil.

Edson Gomes

É impossível falar de Reggae no Brasil sem falar dele, um dos ilustres filhos de Cachoeira, Bahia, e ícone do gênero.

Edson Gomes
Edson Gomes (Imagem: Reprodução / Internet)

Em 1971, aos 16 anos, Edson ganhou o primeiro lugar em um festival estudantil do colégio estadual de sua cidade natal. Ele começou a compor ainda nessa época escolar, nos anos 1972, mas apenas alguns anos depois encontrou no Reggae a inspiração necessária para divulgar suas ideias. “Foi o reggae que me deu a inspiração para direcionar a minha composição para o lado social, porque eu ainda estava indeciso de que caminho eu iria seguir. Então quando encontrei o reggae pensei: ‘Esse veiculo aqui é o que vai levar a minha mensagem, é o apropriado para levar a minha mensagem’”, disse durante uma entrevista. (http://www.aratuonline.com.br/universoaxe/entrevistas/meu-publico-e-enorme-afirma-edson-gomes/)

O cantor deixou a Bahia em 1982 e foi para São Paulo, onde conciliava a carreira na construção civil com o mundo da música. O esforço valeu a pena, e nessa mesma década ele conseguiu gravar um compacto, levar o prêmio de melhor intérprete do Festival Canta Bahia e outro pelo Troféu Caymmi em 1982 com a música “Rasta”. Em 1988, surge “Reggae Resistência”, seu primeiro álbum lançado pela gravadora EMI.

Mesmo sem o apoio da grande mídia, até hoje o cantor tem uma legião de fãs em todos os cantos do país.

Tribo de Jah

A Tribo de Jah é sempre lembrada quando o assunto é Reggae nacional. A banda veio da chamada “Jamaica Brasileira”, ou “Ilha do Amor”, ou simplesmente São Luís do Maranhão.

Tribo de Jah
O Reggae voa pelo mundo

A história da Tribo de Jah teve início na Escola de Cegos do Maranhão, onde os quatro músicos cegos e um quinto músico com visão parcial (apenas em um olho) se conheceram. Lá, eles descobriram o gosto comum pela música, e começaram a arranhar alguns acordes e improvisar instrumentos.

Pouco depois, começaram a viajar pelas cidades do interior do estado fazendo covers de Reggae, lambada e seresta. Nessas andanças conheceram o radialista e atual vocalista Fauzi Beydoun, que também era apaixonado pela cultura do Reggae. Tudo isso aconteceu ainda nos anos 1980, quando o gênero musical nascido na Jamaica fervilhada pelas cidades nordestinas por meio de discos internacionais, mas ainda não possui muitos representantes locais.

Ao longo desses 30 anos de carreira, a os Regueiros Guerreiros se apresentaram em diversos locais importantes, entre eles o principal palco do reggae mundial no Reggae Sunsplash Festival, na Jamaica em 1995. Argentina, Guiana Francesa, França e Itália também fazem parte de sua trajetória.

O pioneirismo da Tribo de Jah é cantado também em suas letras:

“Eu era apenas um forasteiro/ um forasteiro
Quando eu cheguei no Maranhão
Nunca fui rastafari, mas eu era regueiro/ eu era regueiro
Amante do Reggae de coração

Foi quando eu soube que os pioneiros/ os pioneiros
A história de sua abnegada paixão
Os primeiros regueiros brasileiros/ os primeiros regueiros

Do pará e do Maranhão
Foram os precursores
Mestres dinamitadores
Que detonaram a pedreira

Fazendo rolar as pedras nas terras brasileiras
Foram os primeiros
A lançar a semente
Do som e do sonho regueiro
No chão, deste país continente

Roots Reggae Man – reggae pioneiros – os pioneiros regueiros de coração
Roots Reggae Man – reggae pioneiros – os pioneiros do reggae da nação
Os primeiros regueiros de coração
Roots Reggae Man – reggae pioneiros

Pioneiros do Reggae da nação
Rasta alvim, mercador de canções
Missionário visonário (seguido de ras margalho)
No coração de belém do Pará
Passando discos e fitas de suas coleções
Rolando as primeiras pedras por lá

Riba macedo e seu sonzão guarani no Maranhão
Depois zé rouxinho da águia do som
Grande viegas, grande guerreiro
Natty Naifson, Chico do Reggae e serralheiro
Entre tantos outros regueiros de expressão.”

Pioneiros do Reggae – Tribo de Jah

Os Karetas

É um grupo dos anos 70, de Recife, é provavelmente a primeira banda de reggae do Brasil.

Os Karetas
Menudos do Reggae

“Tudo começou no início dos anos 70, quando um Pernambucano conhecido por Sebastião, fundou a banda que adotou o nome, ‘Os Caretas’, isso mesmo, escrevia-se com a letra (C). Essa banda tocava em bailes e festas do Grande Recife. Na primeira formação dos Caretas, os componentes eram:

Daniel Barbosa: Contra baixo e vocal,
Nael: Guitarra solo e base,
Raminho: Guitarra solo e base,
Mamão: Bateria
Silva: Piston
Assilon: Sax
Moises: Teclados
Marcílio: Teclados
Sebastião era dono, empresário e o fundador da banda.

Ainda nos anos 70, por volta de 1979, Daniel Barbosa e Lulu, resolveram comprar o projeto da banda Os Caretas, de Sebastião, então, feito isso, a banda passou a ser chamada de “Grupo Karetas”, já utilizando a letra (K). Daniel Barbosa tinha uma queda pelo ritmo do Reggae, que já vinham tocando em suas apresentações e passou a incorporá-lo na banda”.

Biografia por: Aleyster Crowley Bernando de Andrade

Cidade Negra

A banda Cidade Negra surgiu na cidade de Belford Roxo, no Rio de Janeiro em 1986. Porém, é importante ressaltar que a caminhada começou em 1983, quando o baixista Bino Farias encontrou Ras Bernardo e então surgiu a banda Lumiar, com inspiração no som que vinha da Jamaica, bem como o funk, soul e clássicos do rock. Porém, apenas em 1986 a banda mudou o nome da icônica Cidade Negra.

Cidade Negra
Pra entender o Erê

Um dos pontos marcantes da carreira da banda foi em 1992, quando  o grupo tocou no festival Reggae Sunsplash, na Jamaica; tornando-se os primeiros artistas latino-americanos a participar do evento. Agora, em 2015, Cidade Negra será a primeira banda de Reggae a tocar no Palco Mundo do festival Rock in Rio.

 

Jorge Alfredo e Chico Evangelista

Jorge Alfredo e Chico Evangelista
Detalhe no figurino

Dois dos nomes mais antigos da cena do Reggae brasileiro que foram peças chave na evolução do ritmo no país. Antes dos anos 1980, ainda em 1979, os dois compositores baianos lançaram um disco intitulado “Bahia Jamaica” – talvez o primeiro disco brasileiro assumidamente de reggae. A música “Reggae da Independência”, de Chico Evangelista, também de 1979, rendeu o prêmio do Festival de Música da TV Tupi.

 

Banda Remanescentes

O grupo Remanescentes surgiu quando nomes como Nengo Vieira, Sine Calmon, Tin Tim Gomes (irmão de Edson Gomes) e Marco Oliveira se reuniram na Bahia dos anos 1980.

Remanescentes
Nengo Vieira, Sine Calmon e Tin Tim Gomes

Originalmente formado por músicos da banda Studio 5, o grupo surgiu da experiência comunitária vivida na residência de Nengo Vieira, em Salvador. Por lá viveram diversos nomes da música e da arte em geral – até mesmo Raul Seixas passou por lá.

O Remanescentes foi um grupo alternativo comunitário que, segundo os seus ex-integrantes, tinha como objetivo levar a mensagem do evangelho através do reggae. Eles adotavam o visual e parte da cultura rastafári, mas cultuavam Jesus Cristo. O Reggae feito pelos Remanescentes era inspirado no roots e suas letras envolviam problemas sociais, amor, religião e esperança.

Participe! Qual música das antigas você mais gosta?