Termina a briga de gravadoras por direitos autorais de 13 canções de Bob Marley

Direitos autorais desde sempre tem criado infinitas brigas entre empresários, bandas, gravadoras entre outros.

No caso do Rei do Reggae, não está sendo diferente, o Juiz Richard Meade, da justiça Inglesa, deu fim ao recurso da CAYMAN MUSIC, que clamava pelos direitos autorais de treze músicas de Bob Marley, escritas entre 1973 a 1976, dando os direitos para a gravadora Blue Moutain (Island Records). Na lista incluem-se, “CRAZY BALDHEAD”, “JOHNNY WAS”, “NATTY DREAD”, “NO WOMAN NO CRY”, “POSITIVE VIBRATION”, “RAT RACE”, “REBEL MUSIC (ROAD BLOCK)”, “TALKING BLUES”, “THEM BELLY FULL”, “WANT MORE”, “WAR”, “WHO THE CAP FIT” E “SO JAH SEH”.

A disputa era complicada pelo fato de Marley não ter assinado as músicas, atribuindo a autoria a outras pessoas. O crédito por “No Woman, No Cry”, por exemplo, foi para Vincent Ford, segundo algumas versões, para evitar obrigações contratuais ou para garantir que seu amigo de infância tivesse recursos para suas instituições de caridade. Os direitos desta música em particular valem milhões, indicaram as partes durante o julgamento.